O acidente tem como principal fator a falta de sinalização vertical no cruzamento das ruas Conselheiro Álvaro de Oliveira e Bernardo Figueiredo

Reparo do muro da casa, estimado em R$1.500, bem como o do Gol preto, de R$ 12.000, ficará por conta do motorista que invadiu a preferencial 
Foto: Saulo Roberto

Uma colisão entre dois carros acabou com um deles invadindo uma residência, na Parquelândia. Às 6h30 desta quarta-feira (16) um Gol branco, que vinha da rua Álvaro de Oliveira, invadiu a preferencial e atingiu outro Gol, de cor preta, que vinha da rua Bernardo Figueiredo. O veículo branco acertou a lateral do preto, tendo o segundo invadido a frente da residência da esquina.

O acidente tem como principal fator a falta de sinalização vertical nas ruas. A sinalização horizontal da rua Álvaro de Oliveira está com a pintura comprometida, o que dificulta a visão dos motoristas que vêm nesse sentido. Há pelo menos dois anos, a população que reside nas proximidades passa por problemas semelhantes. A Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) informou que ainda hoje será realizada uma vistoria técnica no local e até o fim desta semana, a sinalização estará revitalizada.

Segunda vez que a casa é atingida

“Ninguém aguenta mais. Toda semana tem acidente aqui. É colisão demais, já teve até capotamento. Só a minha casa já é invadida por um carro pela segunda vez”, relata Tertulina Bezerra, cuja casa foi atingida pelo veículo. As sequelas da primeira invasão ainda permanecem visíveis. Um poste de iluminação que quase foi derrubado, na época, ainda não foi reparado. O primeiro acidente aconteceu há dois anos.

A motorista do gol preto, que invadiu o muro da casa, ia ao trabalho, em uma escola em Caucaia. Perdeu o expediente e ainda teria de ir ao Hospital, pois ficou com dor nas costas após acidente.

“Não foi culpa minha, nem do outro motorista. O problema é esse cruzamento. E as autoridades insistem em não fazer nada. Se tivesse alguém passando pela calçada, poderia ter morrido”, desabafa a motorista, Ana Caroline Oliveira.

O motorista do gol branco, Airton Rodrigues, ia deixar o pai no Instituto do Câncer do Ceará (ICC). O senhor tem câncer de estômago e passaria por uma operação.

Juizado Especial Móvel esteve no local e conseguiu com que as três partes entrassem em acordo. O reparo do muro da casa, estimado em R$1.500, bem como o do Gol preto, de R$ 12.000, ficarão por conta de Airton Rodrigues. Um dinheiro que o motorista que invadiu a preferencial não tem, segundo ele. “Minha cabeça está mesmo na saúde do meu pai”, concluiu, com lágrimas nos olhos.

👍🏻Curta nossa página no Facebook 👇🏻

https://www.facebook.com/quixeramobimnews.com.br/