Um trabalho de investigação acerca de roubos a pessoas na Área Integrada de Segurança 1 (AIS 1) levou os investigadores do 2º Distrito Policial (Aldeota) à prisão de duas mulheres suspeitas de receptação de celulares na Capital. Mãe e filha foram flagradas com dois aparelhos com queixa de roubo durante o cumprimento de um mandado de busca e apreensão na residência das investigadas. Além disso, os policiais civis apreenderam R$ 24 mil em poder das mulheres. Os detalhes dessa ação da Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) foram apresentados nesta segunda-feira (24), na sede do 2º DP, em Fortaleza.

No decorrer de uma investigação para identificar suspeitos da prática de roubos a pessoas, os policiais civis do 2º DP descobriram o endereço de onde havia a suspeita de que os produtos oriundos de ações criminosas poderiam estar. Com o aval do Poder Judiciário, na última quinta-feira (20), os policiais civis cumpriram um mandado de busca e apreensão em um imóvel no bairro Jurema, em Caucaia, na AIS 11. No imóvel, estavam duas mulheres e com elas foram encontrados dois celulares com queixa de roubo.

As suspeitas foram identificadas como Diana Fernandes de Brito (43), com antecedente criminal por roubo, e a filha dela, Tamara de Brito Nobre (20). Durante as buscas feitas no imóvel, os agentes da Polícia Civil encontraram quase R$ 24 mil em espécie. Parte do dinheiro estava guardado no guarda-roupas de Diana e o restante foi localizado em um outro cômodo da casa. Questionadas sobre os valores encontrados, Diana respondeu que a quantia era oriunda da venda de peças e acessórios para celulares de um box que ela mantém em um shopping popular na Capital.

Diante do flagrante dos celulares com suspeita de serem produtos de roubo, as mulheres foram encaminhadas para o 2º DP, onde foram autuadas por receptação. Além dos aparelhos, o montante em dinheiro também foi recolhido pelos policiais civis, já que as investigadas não comprovaram a origem lícita da quantia apreendida. A Polícia Civil segue com as investigações no intuito de descobrir a relação das mulheres com o recebimento de celulares roubados na Capital.

Boletim de Ocorrência

A Polícia Civil orienta as vítimas de roubo ou furto de celular a se dirigirem a uma unidade policial para realizar um Boletim de Ocorrência (BO) ou registrarem na Delegacia Eletrônica (Deletron) [https://www.delegaciaeletronica.ce.gov.br/beo/]. Para isso, é necessário fornecer nome completo e CPF do titular da linha habilitada no aparelho subtraído, endereço, data e horário do crime, número do telefone e o número do IMEI do aparelho, quando possível.

Verifique a situação do celular

Para consultar se o seu aparelho celular possui procedência legal, a Polícia Civil aconselha o cidadão a acessar o site da Anatel e inserir os dados do IMEI do celular. No site da Anatel é possível verificar a situação do dispositivo. Se a pesquisa apresentar o resultado “até o momento o IMEI informado não possui restrições de uso” é sinal que o aparelho não possui restrição.

Como consultar o número de IMEI?

O IMEI pode ser encontrado na caixa do aparelho celular, no adesivo que fica por trás da bateria ou digitando *#06# no dispositivo. Celulares com entrada para dois chips possuem dois números de IMEI, sendo necessário verificar em ambos os chips. Anote e guarde os números em um local seguro. Se for vítima de roubo ou furto, não se esqueça de mencionar a numeração na hora de registrar o BO.

Denúncias

A população pode contribuir com as investigações repassando informações que auxiliem os trabalhos policiais. As denúncias podem ser feitas pelo número 181, o Disque-Denúncia da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS); ou para o (85) (85) 3101-1344, do 2º Distrito Policial. O sigilo e o anonimato são garantidos.


Nossa página no Instagram

https://instagram.com/quixeramobim_news?igshid=1ar0nbn5ej0k7

Nossa página no Youtube
https://www.youtube.com/channel/UCWukWdg6Ycj5yHCXSy1GnJg?view_as=subscriber