A Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE), por meio da Delegacia Municipal de Limoeiro do Norte, desarticulou um esquema de comércio de anabolizante e prendeu quatro suspeitos em flagrante. As prisões são frutos de um trabalho de investigação desenvolvido pelos policiais civis durante três meses. Além das prisões, diversos medicamentos, seringas, e objetos associados a prática criminosa foram apreendidos. A operação ocorreu nessa quarta-feira (05) em Limoeiro do Norte, Área Integrada de Segurança 18 (AIS 18).

Conforme o delegado Bruno Varela, titular da delegacia de Limoeiro do Norte e responsável pelas investigações, o grupo era investigado há três meses, após a Polícia receber uma denúncia anônima delatando o esquema criminoso. Foram capturados Elias Francisco Regis Neto (40), vulgo “Queixinho”, com antecedentes criminais por receptação; Cleudison de Almeida Sousa (35), vulgo “Som”, com antecedentes por crime de trânsito e lesão corporal; Tuianan Chaves da Silva (33) e Uianan Chaves da Silva (36), ambos sem antecedentes criminais.

Segundo as investigações, Elias era dono de uma academia no município e os irmãos Uianan e Tuianan eram fisiculturistas e, assim como Cleudison, trabalhavam como instrutores de academias da cidade. “Eles atuavam como uma espécie de sociedade, um abastecia o outro. Quando um deles precisava de uma determinada substância e não tinha, o outro cedia o material”, revelou Bruno. O delegado explicou ainda que algumas vítimas eram enganadas pelos criminosos que receitavam as substâncias informando que eram remédios lícitos. “Algumas vítimas compravam uma espécie de ‘pacote’ de serviços que incluía a prescrição de dietas, exercícios físicos e o uso das substâncias anabolizantes. Para algumas pessoas, eles vendiam como se fossem medicamentos lícitos”, disse.

Durante as diligências, a equipe policial conseguiu abordar Cleudison que portava anabolizantes em sua mochila, em seguida os policiais foram até uma academia onde capturaram Uianan, e seguiram até a residência do seu irmão, o Tuianan, onde o capturaram e encontraram mais material ilícito. De lá, seguiram até a casa de Elias onde o mesmo foi capturado e mais material foi localizado. Durante as prisões, nenhum deles esboçou reação. No total, a equipe policial apreendeu aparelhos celulares, seringas, agulhas, mais de 19 frascos e 7 caixas de comprimidos de esteroides anabolizantes, além de algodão e medicamentos de uso controlado.

O quarteto foi indiciado no artigo 273 do Código Penal, o qual pune as condutas de “falsificar, corromper, adulterar ou alterar produto destinado a fins terapêuticos ou medicinais”, com pena de reclusão de 10 a 15 anos, além de multa. O crime é considerado hediondo.

Bruno Varela explicou que as investigações sobre o caso permanecem a fim de identificar outros envolvidos no crime. “Nossas investigações seguem no sentido de identificar outros envolvidos além de descobrir a origem do material apreendido”, finalizou o delegado.

Nos acompanhe pelo o Instagram

https://instagram.com/quixeramobim_news?utm_source=ig_profile_share&igshid=pjuhc4khqvfh

Curta nossa página no Facebook

https://www.facebook.com/quixeramobimnews.com.br/