Bandidos dispararam uma rajada de tiros no portão da garagem da casa do irmão da prefeita.

A Polícia Civil abriu inquérito para investigar o atentado sofrido pelo irmão da prefeita do Município de Umari (a 437Km de Fortaleza). O crime ocorreu na madrugada do último domingo (20). Bandidos ainda não identificados dispararam cerca de 20 tiros de pistola e espingarda calibre 12 (escopeta) na fachada da residência de Valdeir Moura, irmão da prefeita Marineide Pinheiro Moura, a Neide Moura.

De acordo com o que foi apurado pela Polícia, era por volta de 2h30 quando os bandidos praticaram o crime. A rajada de tiros atingiu o portão da residência, transfixou e alcançou o veículo que estava na garagem, uma caminhoneta importada. O carro ficou com a parte traseira completamente danificada.

O atentado foi confirmado pelo irmão da prefeita, que foi orientado a prestar queixa (Boletim de Ocorrência/B.O.) na Delegacia da vizinha cidade de Ipaumirim . O fato foi confirmado pelo capitão PM Juarez Sousa, comandante da 2ª Companhia do 10º BPM, sediada na cidade do Icó. Diligências estão sendo feitas na região na caça aos autores do crime.

Os motivos do atentado ainda não foram esclarecidos, muito embora as autoridades considerem que possibilidade maior seria de conotação política. O irmão da prefeita estava em casa com a família e, apesar dos tiros, não ficou ferido.

A prefeita Neide Moura foi eleita pela coligação “Umari, juntos para servir” em uma eleição suplementar realizada no dia 3 de junho do ano passado. Neide é empresária e mora no Município de Cajazeiras, na Paraíba, bem próximo de Umari, já que a cidade fica praticamente no limite entre os dois estados.

Prefeito cassado

De acordo com os dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Neide Moura obteve 2.739 votos (56,90%) e Ana Paula Viana, 2075 (43,10%). A diferença, portanto, foi de 664 votos. Foram registrados 59 votos em branco (1,17%) e nulos, 157 (3,12%).

Neide Moura e o vice-prefeito, Alex Ferreira, foram eleitos para o mandato tampão até 31 de dezembro de 2020. O prefeito eleito em outubro de 2016, Alexandre Barros Neto; e a vice-prefeita, Laura Lustosa Ribeiro, foram cassados por decisão do Pleno do TRE e do TSE por compra de votos.

A eleição suplementar em Umari foi realizada mediante o reforço policial de 44 homens da Polícia Militar, com nove viaturas, e mais duas equipes em duas viaturas da Polícia Federal.

Nos acompanhe pelo o Instagram

https://instagram.com/quixeramobim_news?utm_source=ig_profile_share&igshid=pjuhc4khqvfh

Curta nossa página no Facebook

https://www.facebook.com/quixeramobimnews.com.br/