Barbado e maltrapilho, “Zé de Valério foi descoberto no Distrito de Jatobá Medonho, no Município de Buriti dos Montes, no sertão do Piauí, e já está sendo trazido de volta para o CearáApós 78 dias de caçada humana nos Sertões do Ceará e do Piauí, em um verdadeiro desafio para as autoridades policiais e da Segurança Pública dos dois estados nordestinos, chegou ao fim na manhã desta sexta-feira (12) a fuga do vaqueiro José Pereira da Costa, o “Zé de Valério”. Ele foi capturado no Distrito de Jatobá Medonho, um lugarejo localizado na zona rural do Município de Buriti dos Montes, no Piauí.

Magro, maltrapilho, usando botas e um blusão camuflado, chapéu de massa na cabeça e barbado. Assim estava o homem que começou a ser caçado pelas autoridades policiais na manhã do dia 25 de abril último, horas após ele cometer o rapto, estupro e assassinato da jovem estudante universitária Daniele Oliveira Silva, 20 anos. O crime aconteceu numa estrada de terra na localidade de São Gonçalo, na zona rural do Município de Pedra Branca, na Região do Sertão Central do Ceará (a 275Km de Fortaleza).

“Zé de Valério” foi localizado em circunstâncias ainda não reveladas oficialmente pelas autoridades piauienses e cearenses. No entanto, nas redes sociais já circula um vídeo do exato momento em que o bandido – já algemado – caminha pelas ruas do lugarejo, escoltado por policiais militares e seguido por vários curiosos, sendo conduzido para uma viatura da Polícia Militar do Ceará.

A fuga e as mortes

“Zé de Valério” ou “Zé da Foice” tornou-se um dos bandidos mais caçados pela Polícia do Ceará nos últimos anos, fato que passou a ser comparado com a fuga do pistoleiro Idelfonso Maia Cunha, o “Mainha”, nos anos 80.

O criminoso é apontado como autor de, pelo menos, dois assassinatos no Ceará e em ambos os crimes as vítimas foram mulheres. O primeiro caso ocorreu no dia 19 de abril de 2013, quando ele assassinou, a tiros, a comerciante Maria Solange Cesário, 39 anos, na localidade de Fazenda Barracão de Zinco, na zona rural do Município de Tauá, na Região dos Inhamuns (a 337Km de Fortaleza). Por este crime, até hoje ele está impune.

O segundo assassinato teve como vítima a estudante Daniele, em Pedra Branca. O vaqueiro chegou a trabalhar no sítio dos pais da universitária de Administração. Dois anos depois, saiu de lá, mas continuava trabalhando numa fazenda próxima e costumava ir visitar os antigos patrões nos fins de semana, até o dia em que decidiu raptar, violentar e matar Danielle.

Fim da linha

Horas após a descoberta do corpo da jovem Danielle, a Polícia já tinha o nome do suspeito. Mas, àquela altura dos acontecimentos, “Zé de Valério” já estava longe. Durante os 78 dias, se embrenhou nas matas como um bicho. Andava durante as noites e madrugadas e descansava (escondido) durante o dia. Roubava alimentos e até trocou tiros com a Polícia por duas vezes.

Caminhou pelos sertões de Pedra Branca, Senador Pompeu, Quixeramobim, Boa Viagem e Independência, até chegar nos sertões de Crateús. De lá, seguiu firme em sua saga e entrou em território piauiense, onde por lá se escondeu até o quanto pode. Hoje, foi o fim da linha. Acabou descoberto quando buscava comida e água em Jatobá Medonho. Está preso.

Com informações Fernando Ribeiro

Nos acompanhe pelo o Instagram

https://instagram.com/quixeramobim_news?utm_source=ig_profile_share&igshid=pjuhc4khqvfh

Curta nossa página no Facebook

https://www.facebook.com/quixeramobimnews.com.br/